"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada." - Clarice Lispector



sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Extremista.


Cansei de coisas medianas; quase sentimentos que acabam em duas semanas, abraços meio fracos, beijos sem muita vontade, banhos mornos, esmalte de cor neutra, gente sem opinião. Não faz parte a aceitação disso, né? Eu quero sentimentos arrebatadores que façam o coração acelerar ou nada de emoções, gosto de abraços que me tirem o ar, caso contrário prefiro não recebê-los, quero beijos estalados ou distância, esmaltes fortes ou base, banhos extremamente quentes ou água muito gelada, quero gente que tenha opinião formada sobre a própria opinião ou gente que não se dê o trabalho de demonstrar sua mediocridade. Cinza não me agrada, gosto de preto e branco, coisas concretas, sentimentos de verdade, amor e puramente amor ou ódio, mas este eu prefiro distante. Tenho paixão por tudo que é intenso, a intensidade faz das coisas simples momentos inesquecíveis e mesmo sendo bobagem é isso que me atrai, é esse tipo de radicalidade que me convence e me faz bem. Acabei descobrindo que não vejo a menor graça em coisas abstratas, coisas que não me façam dar gargalhadas ou derramar lágrimas, não tenho o menor interesse pelo comum ou por qualquer 'inho' do cotidiano. EU QUERO O EXTREMO, meio termo me dá sono.

Quatrocentoseoitentamilhõesdebeijos :*

Um comentário:

  1. Hm...que menina mais 8 ou 80!
    uns superlativos aí iam ficar ótimos, heheheh

    ResponderExcluir